CRENDO NO CUMPRIMENTO DA PROMESSA PARTE V
” Se eu de ti me esquecer, ó Jerusalém, que resseque a minha mão direita”(Sl.137:5)

Dinâmica: use um pedaço de barbante e faça muitos nós, depois diga que quem conseguir desatar todos os nós,
ganhará um prêmio surpresa ( a seu critério). Estipule um tempo (10 minutos). Nem todos vão topar o desafio, tendo
em vista as dificuldades; e alguns, conforme o tempo passar, vão querer desistir, mesmo que seja para ganhar um
prêmio. Só quem se determina, consegue!.

O processo da conquista desafia-nos à fé. Até o cumprimento da promessa, o caminho é longo, desgastante.
E o que você faz para não esmorecer?
“Porque ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que decepcione o produto da oliveira, e
os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não
haja gado; Todavia eu me alegrarei no Senhor; exultarei no Deus da minha salvação.” (Habacuque 3:17,18).
O povo de Deus mesmo sendo prisioneiro, buscava reafirmar a sua confiança no Senhor, na sua porção;
apesar de todo sofrimento do cativeiro. Aparentemente tinha até motivos para desacreditar no que lhe fora
prometido. Mas buscava o consolo e a fé, no Deus de Israel. “Se eu me esquecer de ti, ó Jerusalém, esqueça-se a
minha direita da sua destreza” (Salmos 137:4,5)
Estamos caminhando para o final do ano, muitos começam a avaliar quais as metas que não foram
alcançadas. E quais foram esquecidas no caminho, pelas adversidades ou falta de determinação para alcançá-las.
Uns buscam nessa avaliação, ter um novo gás, delimitar o foco, e fazer os ajustes necessários, e o que realmente
tem de ser feito. Outros, iniciam novamente o circulo vicioso: promessas – faz que cumpre – para – voltar a fazer
– o ano acaba – não deu tempo! E essa falta de compromisso com sua própria história e propósitos, enfraquece!
Não alcançar uma meta, não faz de você a pior pessoa, mas é hora de pensar o que você está fazendo com a sua
vida?
O que lhe prende e lhe faz chorar? O povo chorava ao lembrar de Sião, lembrar de casa, daquele tempo
bom, do “primeiro amor ao Senhor”. Mas em nenhum momento deixava de crer, apesar das circunstâncias.
Mantinha firme a declaração de fé e de esperança, que o Senhor lembraria de todas as coisas, se levantaria a
favor deles. Não se corrompeu: “ Pois lá aqueles que nos levaram cativos nos pediam uma canção; e os que nos
destruíram, que nos alegrássemos, dizendo: Cantai-nos uma das canções de Sião. Como cantaremos a canção do
Senhor em terra estranha?” (Salmos 137:3,4).

Não dá para viver distante de Deus, sem conhecer os seus propósitos para nossas vidas, sem saber nossa
origem espiritual

Deixe um comentário:

*

Seu endereço de email não será publicado.

© 2017 MIR 12 STM | Desenvolvido por Dimention